“Sou aquele tipo de pessoa que morre de amor. Sim, morro de amor mesmo, morro de felicidade também, morro de tristeza, morro de cansaço, morro de rir. Entendeu né? Ponho intensidade em tudo.”
Gabriel Silva. (via materializei)
“Quantas vezes você já mudou de assunto só para não falar dos seus sentimentos?”
Pink  (via amornimous)
“É mentira dela. Ninguém conhece ninguém em quinze dias. Tudo bem, pessoas trocam nomes, signos e telefones com outras pessoas em quinze dias, mas o que eu quero dizer é que ninguém me esquece nesse meio tempo. Eu acho.”
Gabito Nunes (via finais)
“Eu sei que não te falo isso o tempo todo, e que as vezes eu não demonstro o quanto eu gosto de você. Enfim, eu te amo e mesmo que eu faça algumas coisas provando o contrario, saiba que você é a melhor coisa que me aconteceu. Pegamos uma amizade do tipo que eu nunca tive com ninguém, eu te peço desculpas se alguma vez eu te magoei, é a minha maneira de te proteger e dizer que algo que você faz não tá legal. Enfim, eu te quero por perto até quando eu disser que te quero longe.”
Castelo de Cartas. (via isolavel)
“Mas se quiser ir, por favor me leva.”
Acalentava.  (via erzdiozese)
“Idiota fui eu, que só por ter tido carinho, pensei que fui amado.”
Caio Fernando Abreu. (via erzdiozese)
“— Meu nome é Hazel. O Augustus Waters foi o grande amor estrela-cruzada da minha vida. Nossa história de amor foi épica, e não serei capaz de falar mais de uma frase sobre isso sem me afogar numa poça de lágrimas. O Gus sabia. O Gus sabe. Não vou falar da nossa história de amor pra vocês porque, como todas as histórias de amor de verdade, ela vai morrer com a gente, como deve ser. Eu tinha a expectativa de que ele é quem estaria fazendo meu elogio fúnebre, porque não há ninguém que eu quisesse tanto que…— Comecei a chorar. — Tá, como não chorar. Como é que eu…Tá.
Respirei fundo algumas vezes e retomei a leitura.
— Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei se uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter, e, por Deus, queria mais números para o Augustus Waters do que os que ele teve. Mas Gus, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso.”
A Culpa é das Estrelas. (via revejo)

mists